Em GV, Defesa Civil intensifica vistorias na cidade

7375421_x720

A Defesa Civil Municipal orienta que é preciso redobrar a atenção em períodos chuvosos. “A chuva ou tempestade, quando vem com vento forte, pode derrubar árvores e destelhar residências. O que a gente orienta é que se o morador achar que o imóvel está caindo, procure um abrigo em local seguro, como a casa de um vizinho ou familiar. Deve proteger primeiro a vida, depois resolver outras questões”, destaca Adelson.

O diretor do órgão complementa que a Defesa Civil Municipal age em diversos outros casos que podem colocar a estrutura da casa em risco, como escavações ou obras irregulares vizinhas que causam danos ao imóvel, muros ou estrutura da casa que apresentam trincas ou rachaduras e inundação por esgoto.

Quem precisar solicitar uma vistoria ou tirar dúvidas pode procurar a Defesa Civil Municipal no térreo do prédio da Prefeitura. O endereço é Rua Marechal Floriano, 905, Centro. Para acionar por telefone, basta ligar para o número (33) 3279-7436 ou 199. O atendimento é de segunda à sexta-feira, de 8h às 12h e de 14h às 18h.

Durante todo o ano a Prefeitura, por meio da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec), realiza ações preventivas fazendo vistoriais técnicas em imóveis e orientando moradores, principalmente em áreas consideradas de risco. Em períodos chuvosos essas atividades são intensificadas na cidade. Além da prevenção, outras duas linhas de atuação do órgão são o socorro e a reconstrução.

O diretor da Defesa Civil Municipal em Valadares, major Adelson Ferreira Bento, explica que nessa época do ano as solicitações aumentam. “Desde o início deste ano já fizemos 170 relatórios, e a expectativa é que esse número ultrapasse os 200 até o final do ano. Nesse período atuamos no trabalho de socorro, atendendo pessoas que, por exemplo, sentem receio de cair algum barranco, ele descer sobre sua casa”, disse.

Nas áreas consideradas de risco, o acompanhamento da Defesa Civil Municipal abrange também encostas e bairros situados à margem do rio Doce. De acordo com Adelson Bento, o monitoramento do rio é constante e os moradores podem obter informações nos órgãos oficias, como os sites da Prefeitura e do SAAE. “A gente utiliza, ainda, um carro de som para avisar a comunidade. Dá para saber se vai chegar água em casa. Além disso, os boletins são constantes, e chegam a sair duas ou três vezes ao dia”, explica.

Segundo a Defesa Civil Municipal, o órgão próprio do Ministério da Agricultura prevê que as chuvas para o ano estão dentro da normalidade. Foram previstos 170 milímetros para o mês de novembro na região Leste. Para dezembro deste ano e janeiro de 2020 a expectativa é de 235 e 173 milímetros, respectivamente.

Fonte: Prefeitura de Governador Valadares Foto: Reprodução/Internet

Departamento de Jornalismo – Rádio Mundo Melhor



WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com